• Grotowski, grotowskianos e o paradoxo precisão-espontaneidade

"Grotowski permanece atual nas bases que define para o ator: “Que resistências existem? Como podem ser eliminadas? Que só permaneça dentro dele o que for criativo. Trata-se de uma libertação”. O que é essa “força criativa” que deve permanecer no ator quando a suposta “eliminação” das doxas corpóreas for realizada? E o próprio Grotowski nos responde: “Se se pede ao ator para fazer o impossível e ele o faz, não é ele – o ator – que foi capaz de fazê-lo. É seu homem que o faz”. Esse “seu homem” não pode ser confundido com uma essência humana totalizante, mas como um grau de potência de afetar e ser afetado. Esse homem – enquanto grau de potência – torna-se, para Grotowski, um homem relacional e uma potência construtora presente, uma usina intensiva. Um homem-ator que busca potencializar de forma alegre e positiva suas relações. Alegria deve ser entendida em sua forma-Espinosa: enquanto aumento de potência no encontro. Este livro de Lidia Olinto nos mostra a busca incessante de Grotowski por esse ator-homem que procura incansavelmente uma ética de alegria, tendo como base os três mais famosos espetáculos da década de 60: Akropolis, O Príncipe Constante e Apocalypsis cum Figuris e, como tema central, o paradoxo precisão-espontaneidade. Um livro necessário!" - Prof. Dr. Renato Ferracini - Unicamp.

Código: L999-9788546208692
Código de barras: 9788546208692
Peso (kg): 0,410
Altura (cm): 21,00
Largura (cm): 14,00
Espessura (cm): 1,80
Autor Olinto Lidia
Editora Paco Editorial
Idioma PORTUGUES
Encadernação BROCHURA
Páginas 356
Ano de edição 2018

Escreva um comentário

Você deve acessar ou cadastrar-se para comentar.

Grotowski, grotowskianos e o paradoxo precisão-espontaneidade