• O olho da rua

Anselmo é um sujeito algo desajeitado. Acabou desempregado justamente quando se faziam sentir no Brasil (e São Paulo) os efeitos pesados do processo da globalização periférica implementado a partir de inícios dos anos de 1990.Quando Anselmo se dá conta está no olho da rua e a empresa em que trabalhava fora incorporada, parece que por uma multinacional. Na realidade, no desejo ou no sonho, talvez apenas nas barbaridades da indústria cultural, até o ex-dono da empresa teria sido assassinado e mesmo seus miolos devorados. É fato, é informação ou metáfora?Este forte e bem construído romance de Eromar Bomfim encena e dramatiza o percurso de Anselmo desempregado e em busca de nova ocupação durante o período de uma nova formação da personagem. Trata-se, assim, de certo modo, de uma narrativa de formação do herói no contexto do abandono, da solidão e da exclusão.A experimentação estética e de linguagem é sóbria e eficaz. Engendra personagens e situações narrativas que se encontram na adequação de assunto e estilo. A fala das ruas está ali, assim como a norma culta, fundem-se e realizam-se como expressão forte e renovada. O herói, sem heroísmo grandiloqüente, percorre seu destino para encontrar-se com a ópera, muito mais capaz de fazê-lo humano do que um emprego humilhante a ser conquistado à faca. Na barbárie do desemprego há uma luz capaz de fazer um sujeito dono de si mesmo.

Código: L999-9788577510146
Código de barras: 9788577510146
Peso (kg): 0,200
Altura (cm): 21,00
Largura (cm): 14,00
Espessura (cm): 1,00
Autor Bomfim Eromar
Editora Nankin Editorial
Idioma PORTUGUES
Encadernação BROCHURA
Páginas 160
Ano de edição 2007

Escreva um comentário

Você deve acessar ou cadastrar-se para comentar.

O olho da rua