• O Decreto do Rei

O Prólogo do livro oferece algumas explicações que apontam para a seriedade e compromisso que nortearam até mesmo a seleção dos nomes da protagonista e de outros personagens. Inicia com a definição de Odisseia, nome emprestado de um dos principais poemas épicos da Grécia Antiga, atribuídos a Homero. A Odisseia de Homero relata o regresso de Odisseu (ou Ulisses, como era chamado no mito romano), herói da Guerra de Troia e protagonista que dá nome à obra. Como se diz na proposição, é a história do “herói de mil estratagemas que tanto vagueou, depois de ter destruído a cidadela sagrada de Troia; que viu cidades e conheceu costumes e culturas e que no mar padeceu mil tormentos, quanto lutava pela vida e pelo regresso dos seus companheiros”. Modernamente e no sentido figurado, Odisseia tomou o sentido de uma viagem longa e cheia de aventuras extraordinárias e de peripécias ou ocorrências singulares, variadas e inesperadas, não necessariamente felizes. E quanto ao nome da nossa protagonista? Porque foi batizada por Abigail? Veio do texto bíblico. No Primeiro livro de Samuel, no capítulo 25, lemos a respeito de Nabal e sua mulher, Abigail. O episódio narrado diz respeito a uma necessidade imediata de Davi que não foi atendida por Nabal. Atitude estranha e ingrata por parte daquele homem rico que gozava da proteção e benevolência do exército de Davi. Como resultado, o General Davi decide marchar contra a casa de Nabal e tomar à força e pela espada todos os bens do ingrato, aí incluída a sua vida e a dos seus servos. Assim era o costume daqueles tempos históricos. Quem interviu, agindo preventivamente nessa situação de risco, foi Abigail, a esposa daquele arrogante homem. Uma pessoa muito importante e querida para a nossa protagonista é sua filha, que batizamos por Anahy. O nome foi retirado de uma lenda a respeito de um tempo em que os espanhóis invadiram o Brasil. Foi precisamente as lutas entre índios e espanhóis que deram lugar a uma das mais belas lendas das terras banhadas pelos rios Paraná e Uruguai. O nome Anahy vem dessa linda história e seu significado em tupi é Bela Flor do Céu. Já Mara, nome dado à mãe da protagonista, foi inspirado do episódio narrado no livro de Rute. Em hebraico, Mara significa “amarga”. Finalizando, queremos nos referir a dois personagens que batizamos por D. Juan e D. Diego. Porque esses nomes? Porque combinam com heróis de capa e espada, conquistadores e resgatadores de sofridas, românticas e incautas donzelas. Porém, na verdade, são sedutores mais compromissados com seus próprios interesses do que os das lindas moçoilas.

Código: L999-9788551803585
Código de barras: 9788551803585
Peso (kg): 0,340
Altura (cm): 23,00
Largura (cm): 16,00
Espessura (cm): 1,50
Autor Denise Leal
Editora Autografia
Idioma PORTUGUES
Encadernação BROCHURA
Páginas 298
Ano de edição 2017

Escreva um comentário

Você deve acessar ou cadastrar-se para comentar.

O Decreto do Rei